O segredo da festa

O segredo da festa

Sou apaixonado pelas pessoas, por olhar para elas, percebê-las, participar da sua vida, conhecê-las.

Sou enamorado da magia das relações humanas. E talvez por isso adore o meu aniversário. Porque nesse momento junto a oportunidade do convívio, com o amor que recebo de todas as pessoas que me rodeiam. Durante muito tempo o meu dia de anos foi um stress, mas acho que descobri o segredo da festa

Não sou complicado.

Aliás prefiro sempre soluções a problemas. E durante muito tempo o aniversário era um problema. Por muitas razões. Tinha de arrumar isto ou aquilo. Arranjar um restaurante para a festa. Ou tinha que comprar e que cozinhar. Ou tinha que ir ou voltar. A verdade é que era tanto stress e confusão que muitas vezes o dia passava e não usufruía nada,

Podia fazer aqui a lista interminável de todos os aniversários que passaram sem dar por eles, ou até a lista daqueles que mais queria que terminassem o mais rápido possível. Mas, como tudo na vida, fui aprendendo e descobrindo formas diferentes de fazer as coisas. Comecei a perceber que o dia de anos era o meu dia. O dia para olhar para o ano que passou, sonhar sobre o ano que começava. O dia para estar onde queria e com as pessoas que queria.

Primeiro, escolhi que o meu dia de anos fosse de férias. E assim o tenho tentado fazer a maior parte das vezes. Tirar o dia para celebrar, para namorar, para sorrir e para tudo o mais que quiser.

Segundo, mudei a forma como fazia as minhas festas. E esse é o segredo. Decidi que as festas deviam servir-me a mim e não eu servir as festas. Que não deviam ser aquilo que as pessoas esperavam, mas aquilo que eu gosto.

E assim criei o meu modelo. Escolher o dia. Definir um horário. Encontrar um espaço (normalmente a minha casa, mas a casa de amigos incríveis também serve) e explicar aos novos como funciona. Entram quando querem. Saem quando querem. Trazem algo para comer e beber. E partilhamos tudo.

O resultado é incrível. Pessoas dos 80 aos 1 ano de idade. Pessoas a entrar e a sair a todas as horas. As pessoas de sempre para dar estrutura e as inesperadas para inovar e surpreender. Muitos sorrisos, muitas gargalhadas, muitos abraços e beijos e carinhos.

E, no fim, um coração inundado de alegria e de paz. E a satisfação de sentir que sou amado e que tenho muitas pessoas na minha vida a quem chamar amigos. E este ano não foi excepção. Sorrisos e abraços e carinhos e pessoas e tudo a que temos direito quando fazemos o que nos diz o coração.

por Bernardo Ramirez

 

 

Comentários

comentários

1 Comment

  • Elvina Maria Reis Rosa

    5 Abril, 2016 at 15:02 Responder

    Que bom! Assim como foi muito bom viver contigo mais uma vez essa tua maneira de celebrar os teus anos e de estar na vida.

O que tenho a dizer:

%d bloggers like this: