Senhor do meu destino

Senhor do meu destino

Uma das grandes perguntas que sempre me tenho feito ao longo da minha vida é: sou eu o dono e senhor da minha vida? Isto quer dizer que sempre me preocupo com a possibilidade do destino e do livre arbítrio.

Durante muito tempo me perguntei se o que me acontecia era fruto de alguns factores aleatórios ou se era algo predestinado. E, mais ainda, se o meu comportamento e reacção já se encontravam predestinados.

Por um lado a responsabilidade da decisão e escolhas pessoais é maravilhosa e assustadora. Por outro lado, deixar tudo na mão de algo alheio é fantástico e também assustador. Seríamos assim uma espécie de vítimas do destino, incapazes de perceber, de saber ou de escolher o que fazer.

Quando comecei a estudar astrologia essa questão ainda se tornou mais pertinente. Na astrologia há uns movimentos planetários chamados trânsitos, que de alguma forma, indicam o tempo, as fases, os momentos da vida de cada um. Há quem estude isso de tal forma que nos consegue dar informações detalhadas sobre os momentos das nossas vidas.

E se assim é, se há um mapa no céu que nos diz o que vai acontecer e como, então qual é o nosso papel nesta história que é a nossa vida? Se o nosso destino já está escrito, onde fica o livre arbítrio?

Mas o tempo, o estudo e a vida têm me apresentado uma proposta que considero mais interessante e pertinente: os grandes eventos da nossa vida e os grandes movimentos podem estar predestinados, mas cabe-nos sempre a capacidade, a decisão e o poder de decidir sobre os acontecimentos.

Ou seja, podemos não ser os senhores do que nos acontece, mas somos sempre os senhores do que sentimos e de como reagimos ao que nos acontece.

Mais, para aqueles que viram ou leram O Segredo, ainda podemos encontrar uma camada suplementar nesta cebola. Somos nós que construimos a nossa realidade. Somos nós que desenhamos e montamos o nosso mundo. Que criamos o que nos acontece, tendo por base os pensamentos, e os sentimentos na nossa mente e no nosso corpo.

Por isso, independentemente da realidade, do destino, do livre arbítrio, e de tudo o mais que acontece na nossa vida, a responsabilidade é absolutamente nossa. Somos os donos e senhores da nossa vida. Dos actos conscientes e propositados aos momentos de sorte ou de azar que parecem completamente alheios a nós.

E, por isso, gosto de pensar e sentir que sou eu o senhor da minha vida. E tudo o que passa e acontece é só por responsabilidade minha. E nesse sentido sou o senhor do meu destino.

por Bernardo Ramirez

Comentários

comentários

No Comments

O que tenho a dizer:

%d bloggers like this: