Mundar

Quero ser daqueles que mudam o mundo. Quero ser um Frank Lloyd Wright. Quero ser um Vinicius de Moraes. Quero ser uma Madre Teresa. Quero ser um Jim Rohn. Quero…

Quero que daqui a mil anos toda a gente saiba quem fui. O que fiz e como o mundo mudou pela minha passagem, mas acima de tudo quero que na minha lápide se escreva: “O mundo ficou melhor com a sua passagem.”

Quero ser daqueles que mudam o mundo. Que ensinam o respeito pelas crianças, pelas mulheres e pelos homens. Daqueles que promovem o carinho e o amor pela natureza e pelos animais. Daqueles que respeitam as diferenças, mas preferem as semelhanças.

Quero ser daqueles que mudam o mundo. Daqueles que ensinam a força e o poder do sorriso e do amor. Que mostram que é melhor mudar do que continuar igual, que é melhor dar que receber. E, acima de tudo, daqueles que descobre que a atenção ao outro e a tudo o que nos rodeia é a mais sublime forma de amor.

Quero que escrevam sobre mim e sobre o que fiz. E que o bem que erigi perdure.

Quero inspirar poemas e músicas e sites de internet e movimentos artísticos e culturais.

Mas, acima de tudo, quero ser dos que transformam o mundo.

Quero ser daqueles que as pessoas dizem que adoraram conhecer, que se sentiram vistas, respeitadas e amadas, cuja presença as fez sentir mais vivas e melhores.E que com a minha passagem, e porque toquei a vida dessa pessoa, há um eu antes do Bernardo e um depois do Bernardo. Mesmo que não o vejam ou percebam.

Quero ser dos que cantam ao mundo, que recitam poesia e que fazem o coração e os olhos brilharem. Quero ser dos que falam a multidões e a pessoas particulares e que, só por falar e as ver, transformam a sua vida.

Quero ser dos que tocam e ao tocar tornam tudo mais brilhante por dentro. Quero mudar o mundo, quero torná-lo melhor. Quero que o meu amor e o meu calor e o meu humor ajudem o mundo a sanar. E que todos façam o mesmo.

Quero que se juntem a mim, que celebrem comigo e que partilhem comigo a jornada. Quero que descubram que a minha mensagem é de amor, uma mensagem de esperança, de transmitir que há lugar para tudo e para todos e que qualquer resposta só pode vir de um lugar de amor.

Quero que me ensinem a crescer e a ser melhor, que me perdoem os limites e as limitações e que também me amem por isso. Quero que vejam que a força pode ser silenciosa e serena e que por vezes tem de se gritar bem alto.

Que aprendam que não há certo nem errado e que tudo se permite. Que cada um sabe de si e Deus, ou o divino, ou o é, ou o ser, sabe de todos.

Que merecemos e podemos, que somos e conseguimos e que tudo o que se passa e é nos pertence e é nosso desde que surge até que se vai.

Mas acima de tudo quero mudar o mundo todo. Quero mundar!

2 comentários em “Mundar”

  1. Li e reli. E pensei …Um belo texto, cheio de força, e guiado por uma enorme ambição. Uma ambição tão forte, que só faria sentido se deixasse a sua marca no que viesse a tocar. Mas que, no entanto,ou por isso mesmo, também só faria sentido, se provocasse um reconhecimento universal. Não me parece que tanto seja necessário para que quem realmente te conhece reconheça o teu desejo e capacidade de dar o que de bom trazes dentro de ti.

  2. Obrigado pelas tuas palavras. Realmente a ambição é imensa e a vontade também. E sei que algures entre onde estou e onde sonho será o ponto onde terminarei o meu percurso. Mas se não sonharmos a realidade será apenas … Não consigo imaginar uma vida sem sonho.

Comentário: