Infiel ou e então?

Um sinal de um autocarro a dizer: salida de emergencia com um boneco a correr

Num workshop a que assisti há alguns anos, uma professora contava uma história sobre índios americanos. Uma mulher chegava perto das anciãs da sua aldeia e dizia: O meu marido foi-me infiel. E uma das anciãs respondia: E então? Junta-te a nós.

Esta talvez seja uma das mais velhas e comuns questões do mundo: a da infidelidade. O amor, ou melhor dizendo, os meandros das relações humanas, já provocaram muitos divórcios, muita violência, muita guerra, muito ódio, muita miséria, e muitos filhos de pais separados. Continuar a ler “Infiel ou e então?”