O processo da criação

Um por do sol, com um céu azul, e o perfil da cidade

Hoje perguntaram-me como começa o meu processo de criação. Como decido sobre o que escrever. O que me leva aos temas e ás palavras que uso.

Não tenho uma explicação muito objectiva. Não tenho um princípio racional e metódico. Escrevo quando algo da minha vida me toca. Quando algum acontecimento, algum momento, alguma pessoa cruzam a minha vida e sinto em mim: aí está uma coisa interessante.

E pode ir desde um prato de comida, a uma qualquer pessoa na rua, a um texto que li, ou a algo que sinto fortemente em mim. Continuar a ler “O processo da criação”