Morrer

Morrer

escrito a 30 de Março de 2011, para o filho de uma amiga querida

No outro dia, o filho mais novo de uma amiga perguntava-lhe “Porque é que as pessoas têm medo de morrer?” e “Eu não sei porque é que tenho medo de morrer, mas tenho!”.

Há muitos anos atrás fiz uma constelação com a Ingala Robl em que nos deparávamos com a nossa própria morte, segundo ela, todos os terapeutas deviam olhar de frente para a morte pelo menos uma vez. Continuar a ler “Morrer”

A realidade é f… (lixada)

Todos nos sentimos mais ou menos desafiados pela realidade. É ela que determina o quando, o como, o qual e o onde. E essa relação com o que nos está a acontecer e onde estamos determina o grau do nosso bem estar e da nossa saúde (tanto física como mental).

Ao longo da minha vida tenho conhecido muitas pessoas que são realidadodesafiadas. Normalmente são pessoas que desejam ardentemente… Desejam amigos, desejam amor, desejam dinheiro, desejam saúde… E sofrem, sofrem muito por sentirem que não os têm, ou porque sentem que nunca os tiveram e que nunca os vão ter. Continuar a ler “A realidade é f… (lixada)”

Poeta

Um conjunto de frascos e pincéis de diferentes cores

Sou um poeta. Não sou um poeta.

Quer dizer, sou um poeta. Não no sentido tradicional. Não sou o Vinicius ou o Pessoa. Não sou o Poe ou o Tê ou o Saint-Exupéry. Gostava de ser mas não sou.

A minha poesia não é cantada apesar do meu esforço. E olhem que não é pouco. E não é pintada. Essa nunca tentei muito. O meu poema não é de pausas e notas. Não é de pedra e martelo. Não é poesia ensinada, nem poesia praticada. Continuar a ler “Poeta”